Trabalho em equipe: uma questão competitiva

Por Fábio Geraldo dos Santos
 
O trabalho em equipe já é uma exigência do mercado. Sendo assim, o estímulo à utilização de técnicas de treinamento devem ser implementadas como parte formadora da pessoa.
 
Fonte: www.rh.com.br

A grande disputa por um lugar de destaque no mercado acontece, num primeiro momento, pelas vantagens competitivas que a empresa apresenta. Nunca se viu tamanha concorrência como vivenciamos atualmente. As organizações, como um todo, são submetidas a uma análise cada vez mais intensificada e minunciosa, a partir do diferencial que apresentam junto ao mercado e, por isso, devem levar em consideração fatores primordiais que a encaminham a uma estratégia valiosa e conseqüentemente ao fortalecimento de suas estruturas organizacionais.
 
O primeiro aspecto relevante, a levarmos em consideração, é o fator humano que desempenha um papel fundamental no ambiente organizacional: é ele que expande essas “vantagens” apresentadas pela empresa. Porém, o ser humano (não somente na empresa mas, também em todos os âmbitos sociais), não consegue atingir “metas revolucionárias”, sem que se dedique a um dos ingredientes fundamentais no desenvolvimento de um processo, ou seja, ao trabalho em equipe, ao cooperativismo que, atualmente é o cerne de todo e qualquer fator de sucesso absoluto.
 
O trabalho em equipe geralmente tem um ambiente propício para se desenvolver de maneira efetiva. Pois, mais importante do que um bom planejamento, é necessário ter um bom elenco. Portanto, com a seleção e o desenvolvimento de pessoal a empresa estará buscando as pessoas corretas para compor o grande time que é a organização, aonde diversas equipes devem mobilizar-se em prol do objetivo maior que é o sucesso individual, coletivo e fundamentado.
 
Existe uma confusão entre trabalho em equipe e em grupo. A diferença básica é que no primeiro existe a definição da atuação de cada componente, enquanto no segundo, há um corporativismo acentuado. Os membros da equipe são escolhidos por sua habilidade e competência; já no grupo os membros são aceitos muito mais por afinidades pessoais.
 
O trabalho em equipe já é uma exigência do mercado. Sendo assim, o estímulo à utilização de técnicas de treinamento devem ser implementadas como parte formadora da pessoa. No entanto, a proposição mais evidente nesse contexto, é que precisamos aprender a trabalhar em conjunto, de forma que desempenhemos intensamente o nosso papel de colaborador ao desenvolvimento organizacional.
 
Pegando uma “carona” no que diz o autor do livro: “Comportamento Organizacional”, Jonh Wagner e Hollenbeck: …a motivação dos membros é um fator importante que afeta a produtividade em equipe e que pode ser gerenciada para evitar ou minimizar a perda de processo. A motivação é um determinante crucial da realização pessoal e é igualmente fundamental na determinação da realização de uma equipe, ou seja, os membros devem estar suficientemente motivados para alcançar o mais alto nível de produtividade permitido por seus talentos.
 
Se os membros de uma equipe não conseguem trocar informações, a equipe não consegue funcionar com eficácia. Outro fator determinante do processo de interação dos membros é a existência de uma estrutura de comunicação viável, sendo um infalível combatente de distorções e conflitos sem nenhum fundamento consolidado.
 
Podemos enumerar algumas vantagens relativas ao trabalho em equipe como: as equipes têm mais fontes de informação; a equipe é mais criativa; o trabalho em equipe incrementa a aprendizgem; satisfação das pessoas quando participam de um processo de decisão; os membros da equipe aprendem mais sobre si próprios. E, ainda algumas desvantagens: a equipe pode pressionar o indivíduo; alguem pode dominar a discussão; alguem pode sobrecarregar-se de tarefas.
 
Enfim, o trabalho em equipe possibilita dar e receber, por parte de cada um de seus membros, afeição, aceitação, sentimento de importância. Isto faz com que o indivíduo cresça, assim como alimenta o crescimento de seus pares. Além disso, o trabalho em equipe é determinante, pois o objetivo a ser alcançado depende da satisfação psicológica do indivíduo bem como das relações humanas.

3 comentários

  1. LUIS CARLOS COLARINE · junho 28, 2007

    TEXTO OBJETIVO PORÉM MARAVILHOSO…PARABÉNS AO AUTOR…ESCREVA MAIS PRA NÓS…

  2. Antônio Carlos Serafim · março 5, 2008

    Boa tarde, sou professor Universitário e quero parabenizar o Autor do Artigo em questão. Fantástico! Linguagem tranquila, idéias reais sobre o aspecto do Trabalho em equipe. Parabéns e sucesso!
    Se possível peço algum contato do autor.

  3. Pingback: A Saúde da Empresa – Uma conquista desafiadora « PontoGP

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s