Investir em TI eleva produção, diz IPEA

Publicado: 01/04/2008 em Notícias

Por Guilherme Barros
 
Um estudo inédito do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) mostra que as empresas que investem em tecnologia da informação (TI) são 13,24% mais produtivas.

Fonte: Folha de São Paulo – 20/03/2008

É a primeira vez que um instituto de pesquisa mostra, por meio de pesquisa em campo, o impacto positivo das máquinas no processo produtivo.

“Antes não existiam dados precisos para comprovar essa tese”, afirma o economista Marco Aurélio Alves, autor do estudo que será publicado nos próximos meses.

De acordo com Alves, até a década de 1980, os estudiosos acreditavam que a tecnologia não surtia efeito na economia. Depois, essa tese foi revista.

“Era um contra-senso”, afirma Alves. “Tínhamos certeza de que a tecnologia abreviava o tempo de produção e distribuição das mercadorias, mas não dava para obter uma média nacional.”

Essa contradição -conhecida como o paradoxo da produtividade- caiu por terra a partir de meados da década de 1990 com o crescimento da base instalada de computadores.

A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) -que representa as maiores indústrias do país- divulgou recentemente seu primeiro relatório sobre o assunto.

De acordo com José Ricardo Roriz, diretor do Departamento de Computação e Tecnologia da Fiesp, as indústrias que destinaram recursos para TI estão faturando, em média, 20% mais do que aquelas que não aplicam no setor.

Aos poucos, pequenas e médias empresas também começam a fazer parte do time que busca ganhos de produtividade -um dos principais indicadores para fazer a avaliação do desempenho de uma companhia.

Quanto maior a produtividade, melhor. Afinal, isso significa que os funcionários estão produzindo mais durante a mesma jornada de trabalho.

A pesquisa do Ipea acompanhou o desempenho de 26.776 indústrias de transformação entre 2001 e 2003.

Entre as firmas de grande porte, 16% usam TI, índice que cai para 10% e 4% entre as médias e pequenas empresas, respectivamente.

De acordo com o estudo, nas empresas com TI, cada trabalhador gerou, em média, R$ 58.900 por ano, no período considerado. Nas firmas sem TI, essa média foi de R$ 28.000.

Segundo Robert Atkinson, presidente do ITIF (Information Technology and Innovation Foundation), nos Estados Unidos, cerca de 78% dos ganhos de produtividade se devem aos investimentos em TI. Na China, esse índice corresponde a 38%.

Um estudo feito com trabalhadores do Reino Unido revela que um aumento de 10% do número de funcionários usando computador para exercer suas funções gera ganhos de até 4,4% na produtividade.

Para o trabalhador, a tecnologia também pode melhorar seu padrão de vida. É o que revela o cálculo do economista americano Glen Hubbard.

De acordo com Hubbard, cada 0,2 ponto percentual de aumento na produtividade por década equivaleria a um aumento de US$ 1.000 na renda de cada cidadão.

Segundo Atkinson, existem chances de que esse cenário se confirme. Entre 1998 e 2001, as empresas que usaram internet para fazer negócios reduziram seus custos em US$ 155 milhões.
Esse número deve saltar para US$ 528 em 2010, gerando 0,43 ponto percentual de ganho de produtividade.

“Esse grau de eficiência que se atinge em economias com alto grau de difusão dos computadores é elevado”, afirma Alves, do Ipea.

Para ele, o Brasil está longe desse patamar porque as pequenas e médias empresas ainda encontram dificuldades de acesso à tecnologia.

Link: IPEA
 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s